CUT/AP reúne sindicatos filiados para efetivar o coletivo de formação e apresentar o plano de ação para 2022

Encontro reuniu sindicatos e movimentos populares e traçou estratégias como:  implantação de brigadas digitais e comitês de formação de base

 

Aconteceu nesta terça-feira, 26 às 19 horas a reunião da Central Única dos Trabalhadores no Estado do Amapá – CUT/AP para traçar as estratégias de formação para este ano. O encontro foi realizado no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Federais Civis no Estado do Amapá – Sindsep/AP, localizado no cento de Macapá e foi coordenada pela Secretaria de Formação, tendo a frente a diretora Altair Furtado.

Durante o encontro foi apresentado um balanço das atividades da Escola de Formação da CUT Chico Mendes da Amazônia realizadas nos primeiros meses do ano. A escola capacita multiplicadores para a formação das bases da CUT na região norte do Brasil.

O representante do Amapá na CUT Nacional, Rogério Pantoja, fez um relato das atividades da Escola, com foco na formação das Brigadas Digitais que estão sendo formadas com vistas a formação das bases em todas as regiões do País para se contrapor as Fake News que são colocadas pelos Bolsonaristas todos os dias nas redes sociais.

Na ocasião, foi criada a Coordenação das Brigadas Digitais no Amapá, que será dirigida pela Secretária de Imprensa da CUT/AP, Neuziana Castro e pelo Jornalista Nielton Trindade, que inclusive, já participaram da primeira fase de formação das Brigadas Digitais e tem a missão de ajudar a formar os brigadistas

Altair Furtado, secretária de formação da CUT/AP apresentou as estratégias de formação da Central, que consta da realização de encontros periódicos para formar multiplicadores nos sindicatos de base no Amapá. Ainda fazem parte da estratégia a criação dos Comitês de trabalho da CUT/AP, além dos Comitês Populares de Luta pró eleições 2022.  

Para encerrar o encontro o presidente da CUT/AP, Errolflynn Paixão apresentou a Plataforma da CUT/AP  fez uma análise da conjuntura política nacional lembrando os últimos acontecimentos no país como: o Indulto de Bolsonaro e as Eleições gerais deste ano, incluindo a questão das Fake News. O dirigente fez o chamamento para que os sindicatos de base da CUT/AP, possam ter mais engajamento nas lutas para derrotar o Bolsonarismo nas eleições deste ano e mudar o rumo do País.

“Não podemos nos acomodar e achar que já ganhamos as eleições. Não está nada ganho, temos que lutar até o último minuto, porque nossos opositores vão fazer de tudo para permanecer no poder, inclusive usar as redes sociais para distorcer os fatos”, finalizou Errolflynn Paixão.

Valdecir Bittencourt

Assessoria de Imprensa do Sindsep/AP